domingo, 25 de setembro de 2011

O índio e o meio ambiente!



Na busca simbólica em procurar um Homo sapiens (nome dado a espécie humana) que melhor nos represente, na visão ecológica, temos um associação rápida ao índio. Na verdade, as etnias indígenas viveram sempre em perfeita harmonia com a natureza, o que foi quebrado a partir de interferências e influências do tal “homem branco”.

O índio sempre tratou o meio ambiente de modo ecologicamente correto. Os povos indígenas mantinham o equilíbrio com o ecossistema. Foi o “homem branco” que destruiu este convívio de milhares de anos entre o índio e natureza.
No Brasil, a colonização e a expansão capitalista geraram uma exploração desordenada que devastou indiscriminadamente muitas regiões brasileiras, desmatando florestas, contaminando rios e lençóis d’água e explorando riquezas do solo subsolos. Hoje observamos que tais riquezas esvaíram-se, o índio acabou sendo levado a um processo de desaparecimento e uma pequena parcela da população consciente tenta recuperar o meio ambiente e proteger a comunidade indígena.
Com a interiorização da colonização portuguesa os recursos naturais foram sendo devastados. A vinda de imigrantes, principalmente no sul do país, contribuiu para a destruição das florestas sem consciência de manter o equilíbrio com o meio ambiente.
Somente graças à resistência indígena de não aceitar a imposição do “homem branco”, é que se mantém viva a chama do respeito ao meio ambiente. Atualmente, a relação entre índio e a natureza é dado como exemplo de vida harmoniosa.
Seja como for, ao passar de 510 anos, apesar de toda a destruição, do cerco fixado por homens estranhos ao seu habitat primitivo, os índios, mesmo do Sul-Sudeste brasileiro, a rigor, não seguiram a trilha da devastação preconizada pelo “homem branco”, tornando-se apenas uma espécie de espectador de filme pouco educativo.
Enfim, mesmo não sendo “naturalmente ecologistas”, aos povos indígenas se deve reconhecer o crédito histórico de terem manejado os recursos naturais de maneira branda. Souberam aplicar estratégias de uso dos recursos que, mesmo transformando de maneira durável seu ambiente, não alteraram os princípios de funcionamento e nem colocaram em risco as condições de reprodução deste meio.
Sem dúvida, preservar é preciso, como é necessário que os índios, mais uma vez, não sejam os mais sacrificados em favor de outros segmentos sociais.

Fonte: ambientebrasil.com.br e pib.socioambiental.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Volte sempre **